Milha 81, Stephen King

milha81

Localizada ao longo da estrada Maine Turnpike, a Milha 81 é uma conhecida parada onde adolescentes se encontram para beber e se meter nas confusões típicas da idade. Também é o lugar onde Pete Simmons vai procurar o irmão mais velho, sempre que ele some. Munido apenas com os incríveis óculos que ganhou no seu aniversário de 10 anos, Pete sai em busca do irmão, mas o que encontra é uma garrafa de vodca abandonada. E bebe o suficiente para desmaiar.
Não muito tempo depois, uma perua coberta de lama – fato bastante estranho, considerando-se que não chove na Nova Inglaterra há mais de uma semana – entra na Milha 81, ignorando completamente a placa de acesso que diz “fechado, sem serviços”. A porta do motorista, então, se abre, mas ninguém sai do carro.
Doug Clayton, um vendedor de seguros de Bangor, está dirigindo seu Prius em direção a uma conferência em Portland, quando vê a perua parada e decide ajudar. Ele estaciona logo atrás do veículo e, então, percebe que a perua não tem placa. Dez minutos mais tarde, Julianne Vernon, puxando um trailer com um cavalo, avista os dois veículos parados e decide ver o que está acontecendo. Ao achar o celular quebrado de Doug perto da porta da perua, ela se aproxima.
Quando Pete enfim acorda de sua bebedeira, vê meia dúzia de carros no acostamento da Milha 81. Duas crianças – Rachel and Blake Lussier – e um cavalo chamado Deedee são os únicos sobreviventes.
Lançado exclusivamente em formato digital, Milha 81 traz mais uma vez uma história aterrorizante do mestre do suspense Stephen King. (Sinopse retirada do site da Ed.Saraiva)

Esse foi o primeiro livro do autor que eu li, acreditam? Já assisti vários filmes baseados em livros dele, mas livro mesmo foi o primeiro. E eu gostei, não esperava nada tão sci-fi como é o livro, mas gostei realmente. No livro uma perua sem placa e toda suja de lama estaciona na Milha 81, como a sinopse conta ao se aproximar do carro o vendedor de seguros Doug Clayton deixa apenas seu celular, daí começa uma série de pessoas se aproximando do local com a intenção de ajudar. O que eu me apaixonei mesmo foi pela Rachel e pelo Blake, que crianças mais fofas, quero ter filhos tão espertos como eles!

Fim, Fernanda Torres

O-Fim-Fernanda-Torres-Capa
 “Eram homens maduros e desesperados. Viviam o apogeu do macho e o pressentimento da inevitável queda.”
Fim é um dos livros mais perfeitos que eu já li,mas se você quer saber o porquê, bem, não sei explicar. Contando a história de Álvaro, Sílvio, Ribeiro, Neto e Ciro é desnudado o amadurecimento e a velhice até a morte, tão diferente para cada um dos 5 homens do Rio de Janeiro.Cada um destes amigos são tão diferentes e tem suas histórias tão desnudas que é impossível não se comover. Adorei o modo irônico como tudo é retratado, em especial na parte do Álvaro, meu preferido. Tudo escrito de forma engraçada e ao mesmo tempo tão crua que não teve como não se apaixonar. Adorei e recomento muito, a editora é Cia das Letras!

O menino de vestido,David Walliams

O_MENINO_DE_VESTIDO_1398455146P

A vida de Dennis não é nenhum mar de rosas – ele foi abandonado pela mãe, não se entende com o irmão, o pai está deprimido e, para piorar, há uma regra em casa que proíbe abraços. Só duas coisas o fazem feliz – jogar futebol e olhar vestidos bonitos. Ele é o atacante do time do colégio e adora a revista Vogue. Durante uma detenção, Dennis conhece Lisa, a menina mais bonita da escola e que também se interessa por moda. Os dois se tornam amigos e passam a se encontrar na casa dela. Até que um dia ela o convence a pôr um vestido e ir à aula fingindo ser uma aluna de intercâmbio. É nesse momento que a vida chata e comum de Dennis se transforma em algo extraordinário.

Sim, tive uma vibe de livros infanto juvenis mês passado, me julguem. Esse livro é de leitura fácil e rápida e eu não entendi até agora qualé a do livro. O Dennis mora com um irmão rabugento e um pai machão, deprimido porque a mãe das crianças foi embora e não pode rolar abraço, é tipo um minitreinamento de como ser estranho. Aí que o Dennis curte moda e joga muito bem futebol. Ele acaba conhecendo uma menina que também adoar moda e os dois viram melhores amigos, até que um dia a menina o convence a usar um vestido e ele, com os hormônios em flor, tentando dar uns pega na menina (Sim, ele é hetero) põe o vestido e vai para escola, claroooooo que tudo dá errado (Oh, não esperávamos por isto) e enfim, livrinho infantil com lição de moral de fundo: “Não julgar”, “Não ser machão”, “Aceitar o outro como ele é” e o mais surpreendente “Menino pode usar vestido e não ser gay” o que me faz morrer de vontade de ir até a avenida aqui perto de casa para perguntar pras traveca da noite se é assim mesmo que funciona…vai saber!

O blog secreto de Agnes, Annie BS

blogsecreto

Toda adolescente tem que ter um diário para contar sobre os gatinhos da escola, as paqueras, os segredos mais íntimos e confissões que não pode fazer nem para a melhor amiga. Agnes Veloso tem um diário, mas ele não possui folhas e não é necessário caneta para escrever. Ela tem um blog, mas não um blog comum, pois ele é S-E-C-R-E-T-O. Lucas Braga é o garoto que desperta sentimentos conflitantes em Agnes. Em um momento, ela o ama; em outro, o odeia. E se Lucas tiver a oportunidade de ler o seu blog secreto, conhecendo todos os seus segredos, o que acontecerá aos dois?

Eu realmente tenho curtido os livros da Annie, são fofos sem ser piegas e em especial acho que posso dizer que O blog secreto de Agnes é o meu favorito, é bem divertido e de uma leitura fácil, e claro todo fofo como os livros dela são. É uma leitura infanto-juvenil descomplicada e atual, enfim, você lê numa sentada. Bastante orgulho por uma nova escritora brasileira. Fofo,fofo,fofo!

giphy

O menino da mala, Lene Kaaberbøl, Agnete Friis

O_MENINO_DA_MALA_1372108189P

“Você adora salvar as pessoas, não é? Bem, aqui está a sua chance.” Mesmo sem entender o que sua amiga Karin quer dizer com isso, Nina atende seu pedido e vai até a estação ferroviária de Copenhague buscar uma mala no guarda-volumes. Dentro, encontra um menino de 3 anos nu e dopado, mas vivo.

Chocada, Nina mal tem tempo de pensar no que fazer, pois um brutamontes furioso aparece atrás do garoto. Será que ela está diante de um caso de tráfico de crianças? Sem saber se deve confiar na polícia, ela foge com o menino e vai à procura de Karin, a única que pode esclarecer aquele absurdo.

Quando descobre que a amiga foi brutalmente assassinada, Nina se dá conta de que sua vida está ameaçada e que o garoto também precisa ser salvo. Mas, para isso, é necessário descobrir quem ele é, de onde veio e por que está sendo caçado.

Neste primeiro livro da série da enfermeira Nina Borg, vendido para 27 países, as autoras Lene Kaaberbøl e Agnete Friis apresentam uma heroína que luta contra seus demônios e busca fazer justiça em meio à crueldade e à indiferença do mundo.

Esse é sem dúvidas um dos livros mais fodásticos que já li nos últimos tempos, eu não conseguia desgrudar dele nem por um único segundo, ele tem suspense na medida certa, sem choramingos, sem dramas, só suspense e ação. Eu fiquei tão grudada no livro que só larguei dele para dormir e ainda por cima sonhei com a história, que aliás é simplesmente perfeita, nada de clichê nem baboseiras, é apenas a história de uma enfermeira fazendo o que pode para salvar um pequeno garoto encontrado por ela dentro de uma mala. Fantástico!

10438148_721634667879172_6586700236003437449_n

O coração de sílex, Katherine Paterson e John Paterson

O_CORACAO_DE_SILEX_1389058998P

Há muito tempo, na chamada ‘Idade da Pedra’, um feiticeiro da terra de Dartmoor cria para um guerreiro ambicioso um amuleto encantado – o Coração de Sílex -, capaz de dar a seu proprietário um poder incrível, sob pena de ele perder sua própria ternura e compaixão. Após provocar muita destruição, o implacável amuleto se perde, até que, milhares de anos mais tarde, um pacato agricultor o descobre por acaso e dele se apropria. Com o Coração de Sílex em seu poder, Billy Jago – esse era o seu nome -, se transforma de pai carinhoso em um homem bruto, cruel e impiedoso. Nove de seus dez filhos ficam muito assustados com a mudança, mas apenas Charles, de doze anos, e Unity, de cinco, decidem lutar para trazer de volta o pai que tanto amam. Ao lado de seu cão, Ship, eles partem para uma terra encantada para tentar colocar Dartmoor e a fazenda Merripit nos eixos novamente.

Uma história infanto-juvenil bem bonitinha. Gostei principalmente do começo, na Idade das Pedras, quando foi criado o coração de sílex, um medalhão com poderes terríveis que trazia a quem usava o poder e também os malefícios deste poder. Anos após o amuleto é encontrado por Billy Jago, um pai que se torna bastante violento, preocupados seus filhos procuram uma solução no Reino Encantado e aí começa uma aventura bem fofa.

Auschwitz: O Testemunho de um Médico, Miklos Nyiszli

auschwitz testemunho de um medico

A premissa de Médico em Auschwitz é uma das mais mórbidas de toda literatura do século XX: um médico criminologista, judeu húngaro, trabalha forçadamente no campo de Auschwitz, sob o comando do próprio Dr. Josef Mengele. Infelizmente, é um livro de não-ficção. A auto-biografia de Miklos Nyiszli, médico em Auschwitz, possui descrições vivas dos acontecimentos no campo. Sob a ótica do meticuloso Dr. Nyiszli, nada escapa. Descreve vivamente a rotina de Sonderkommando (prisioneiro especial: tratado melhor que os outros, trabalhava diretamente nas câmaras de gás e era executado depois de dois ou três meses). O livro de Nyiszli revelou ao mundo muito da crueldade dos campos, da natureza dos nazistas: Nyiszli pinta oficiais cruéis, mas ainda humanos – mesmo o Dr. Mengele, ocasionalmente, parece um ser humano.

Dos livros sobre o Holocausto esse foi com certeza o mais forte e traumático que li, é chocante demais, triste e deixa uma sensação de dor e desconforto que só passaram após alguns dias. Quem escreve é um médico patologista húngaro preso durante o Holocausto, por seu conhecimento é designado para trabalhar dissecando corpos junto ao crematório do campo de concentração, lá para que não hajam testemunhas, a cada 4 meses matam toda a equipe que trabalha nos crematórios. Talvez seja o relato mais fidedigno do que acontecia nos campos de concentração, os experimentos realizados, a escolha para fins de ciência médica e a morte maciça que circundava os campos. É extremamente forte e relata coisas ocorridas em Auschwitz que até então não eram relatadas, já que como dito matavam todos os que trabalhavam com isso para que não houvesse testemunhos na história, o médico sobrevive como que por um milagre e vive o suficiente para contar a história para que a capacidade da maldade não seja nunca esquecida.